DestaquesPolítica

Ex-presidente de associação de procuradores trocou mensagem em aplicativo com pessoa que se identificou como hacker

Reportagem publicada pelo site da Revista ‘Época’ informa que hacker se passou por integrante do Conselho do Ministério Público e enviou áudio com conversa de procuradores. PF investiga invasão de hackers a celulares de procuradores.

O procurador regional José Robalinho Cavalcanti, ex-presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República, trocou mensagens pelo aplicativo Telegram na noite desta terça-feira (11) com uma pessoa que se passou por um procurador integrante do Conselho Nacional do Ministério Público e, em seguida, afirmou ser um hacker. A informação foi divulgada em reportagem publicada pelo site da revista “Época”.

A Polícia Federal investiga a invasão ao celular do ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) e de procuradores da Operação Lava Jato. A corporação busca indícios sobre quem teve acesso de forma ilegal a conversas privadas e qual o método usado pelos hackers.

No último domingo, o site “The Intercept” divulgou trechos de conversas de procuradores da Lava Jato e entre Moro e o procurador Deltan Dallagnol pelo Telegram. Nas mensagens, o ministro, então juiz da Lava Jato, dá orientações e opina sobre como proceder com as investigações. Segundo o site, as conversas foram passadas por uma fonte anônima antes da invasão pelos hackers.

De acordo com a reportagem divulgada na manhã desta quarta por “Época”, o procurador Robalinho, candidato à lista tríplice para ser o novo procurador-geral da República, recebeu mensagens enviadas como se partissem de Marcelo Weitzel, que foi procurador-geral da Justiça Militar.

Fonte: G1

Mostrar Mais

Relacionados

Close
Close