DestaquesMato Grosso do SulPolítica

Preocupado com avanço da Covid-19 em Aquidauana, Felipe cobra responsabilidade do município

O deputado estadual Felipe Orro cobrou responsabilidade da Prefeitura de Aquidauana com ações efetivas para frear o avanço da pandemia Covid-19, sobretudo nas aldeias indígenas, onde a situação assume contornos preocupantes. O parlamentar concedeu entrevista a uma rádio local nesta sexta-feira (31) em que criticou o desempenho da atual gestão e cobrou transparência na aplicação dos recursos recebidos para enfrentamento da pandemia.

Somente este ano, Aquidauana recebeu mais de R$ 6,4 milhões do Governo Federal, além de emendas estaduais, incluindo o repasse de R$ 330 mil de autoria do deputado, destinados às ações de enfrentamento à pandemia na cidade. “Nós estamos vivendo outros tempos, outros momentos e os investimentos não estão acontecendo e não temos as parcerias com a Saúde Indígena. Eu não entendo o que vossa excelência está fazendo”.

Felipe também questionou a manutenção da usina de oxigênio do Hospital Regional. “O Centro de Terapia Intensiva (CTI) conta com 10 leitos, mas apenas 04 (quatro) respiradores podem ser acoplados à rede de oxigênio”, reforça.

O número de óbitos na comunidade indígena vem crescendo exponencialmente e ações efetivas da Prefeitura não tem dado conta de frear as vítimas do novo coronavírus. Isso conforme Felipe deve-se ao descaso em que a Saúde de Aquidauana se apresenta e a falta de investimentos e parcerias.

“Nós tínhamos que ter esta parceria sim com as comunidades indígenas. Há 12 anos atrás nós colocamos uma ambulância em cada aldeia com motorista. A ambulância foi uma conquista da comunidade indígena que hoje não tem mais”, critica o deputado.

Durante a entrevista, Felipe lembrou da época quando saiu da Prefeitura e sua missão enquanto gestor da cidade era a de transformar Aquidauana em um grande polo de Saúde, “Eu dizia há mais de 12 anos atrás nós tínhamos que tornar esta cidade em polo de Saúde. No período que estávamos na Prefeitura, construímos um Centro de Terapia Intensiva (CTI), contratamos equipe completa que serviu a população durante muitos anos e também conseguimos a reforma da maternidade do Hospital Regional, inclusive ganhou a certificação “Hospital Amigo da Criança”. A maternidade era um grande modelo, um grande exemplo na época para Aquidauana e servia toda a região.”

Outra questão importante que marca a história de Felipe Orro frente à Prefeitura de Aquidauana foi a implantação do serviço de hemodiálise no Hospital Regional, a construção do Centro de Especialidades Médicas (CEM) e a quitação dos quatro meses de salário em atraso que os funcionários do hospital enfrentaram na época.

“Fizemos uma intervenção naquele hospital e deu certo, nós conseguimos quitar as folhas em atraso no primeiro mês que nós estávamos na intervenção. Depois disso, reformamos a capelinha, compramos rouparia nova, reformamos o ambulatório, colocamos televisores na entrada do pronto socorro que já estava municipalizado, instalamos aparelhos de ar condicionado, contratamos cinco especialidades médicas em regime de plantão 24h”, disse o deputado.

Sobre ter colocado 10 leitos em atividade no CTI para atender os pacientes em estado mais grave, Felipe Orro afirmou que a máxima era dar manutenção adequada para o funcionamento do centro. “Tínhamos manutenção constante no CTI e em todo o hospital para que tudo funcionasse perfeitamente, desce a limpeza à desinfecção, reformas, compra de material permanente, nós cuidávamos para que tudo funcionasse perfeitamente e funcionava”, afirma.

Atualmente Aquidauana conta com 10 leitos de UTI no hospital para atender a demanda de pacientes em estado grave e apenas quatro estão funcionando por falta de manutenção.

“Há 12 anos deixei a prefeitura com 10 leitos e 10 respiradores funcionando, hoje temos 4. Eu não sei onde o prefeito gastou o dinheiro que chegou para o combate da Covid-19 e muito menos da emenda parlamentar que destinei a saúde de Aquidauana. Não tivemos um retorno para saber o que foi comprado com isso. Isso prefeito, é irresponsabilidade”, finaliza Felipe.

Mostrar Mais
Close
Close